Sul do Paraná já exporta erva-mate com Indicação Geográfica |

Lote especial do produto com Indicação Geográfica foi enviado para o Uruguai

Em 2020, consumidores uruguaios puderam experimentar a erva-mate com Indicação Geográfica do Sul do Paraná. Um lote especial com 65 mil pacotes foi produzido e comercializado pela ervateira Baldo, de São Mateus do Sul. A venda para o Uruguai foi a primeira do produto com IG para o exterior e representa a evolução da cadeia produtiva desde que o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) concedeu o certificado de registro de IG, na modalidade Indicação de Procedência, em setembro de 2017.

Leandro Gheno, diretor vice-presidente da ervateira, conta que a empresa é uma tradicional exportadora de erva-mate, especializada no padrão uruguaio, que tem processamento diferente do produto nacional – a erva-mate permanece armazenada por 12 meses em condições controladas de temperatura e umidade, ganhando uma coloração amarelo-ouro.

“Oferecemos o produto com IG no Uruguai e acabamos fazendo uma tiragem de 65 mil pacotes de 250 gramas da erva-mate com IG. Adotamos uma estratégia diferente, com embalagem especial e proposta de venda em locais específicos para atender a este tipo de público”, relata Gheno.

A comercialização aconteceu em março do ano passado, no início da pandemia, o que acabou alterando a programação. “Nossos parceiros não puderam promover as degustações no Uruguai, mas a receptividade foi boa e as vendas também. Foi um primeiro teste, visando apresentar o produto, que tem qualidade diferenciada, rastreabilidade e origem controlada”, completa. A empresa também acabou lançando uma erva-mate com IG para o mercado nacional.

Fernando Vaccari Toppel, presidente da Associação dos Amigos da Erva-Mate, entidade gestora da Indicação de Procedência São Matheus, detalha que o interesse das indústrias pela erva-mate com IG está crescendo.

“Até final do ano passado, tínhamos quatro indústrias associadas. Na primeira reunião de 2021, no início deste mês, registramos a adesão de mais duas ervateiras da região, uma que trabalha com mercado interno e outra que comercializa no exterior. As duas pretendem comercializar a erva-mate com IG”, relata Fernando.

Além das seis indústrias associadas, a IG-Mathe conta com 29 produtores aptos para fornecer matéria-prima com os padrões da IG para as ervateiras. Na safra 2020 (maio a setembro), foram colhidas 157 toneladas de erva-mate.

“Nosso próximo desafio é buscar novos produtores que se enquadrem no caderno de especificações técnicas da IG. Estamos em conversas com o Sebrae para promover o curso de Boas Práticas Agrícolas nos próximos meses e, quem sabe, aumentar o volume de produção já na safra 2021”, espera Fernando Toppel.

Alyne Chicocki, consultora do Sebrae/PR, observa que os lotes especiais de erva-mate com IG demonstram que as indústrias do Sul paranaense estão percebendo a oportunidade de agregar valor com produtos diferenciados e de origem.

“Vemos a indústria e o mercado tratando o produto com IG, com o valor que merece. Valoriza o trabalho dos produtores, distingue as características e processos diferenciados de produção, além de destacar todo um território”, frisa Alyne.

A região da IG

A Indicação de Procedência São Matheus abrange seis municípios do Sul do Paraná: Antonio Olinto, Mallet, Rebouças, Rio Azul, São João do Triunfo e São Mateus do Sul. A sustentabilidade é uma das marcas da IG, pois as plantas são cultivadas de forma sombreada na Mata Atlântica. Os pés de erva-mate com IG são de procedência nativa, ou seja, mantêm a genética natural da região, com anatomia, cor e sabor peculiares da IP São Matheus.

Deixe uma resposta

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies
error: O conteúdo está protegido !!