Cozinha pernambucana

Cozinha pernambucana

Agulha frita
Esse peixe pequenino muito encontrado no litoral nordestino, é servido como petisco, frito inteiro ou em filé, nos bares da orla marítima. Ele tem espinhas, que de tão pequenas podem ser engolidas sem medo. Quem prova a primeira vez, não resiste ao sabor e fica com um gostinho de quero mais. Perfeito para acompanhar uma cervejinha gelada.

Alfenim de rapadura
A rapadura feita com mel de engenho ou melaço é retirada do fogo antes do ponto e trabalhada com as mãos em movimento de puxa-encolhe até tomar coloração alva. Da massa são feitas figuras variadas que ganham o nome de alfenim.

Angu
Pudim cremoso preparado com xerém de milho ou fubá, água, leite de coco e açúcar. Sirva com um cafezinho.

Angu Salgado
Comida típica tradicional na mesa dos moradores da região, o angu salgado é sempre servido com galinha ou bode guisado. Os ingredientes: fubá, farinha ou xerém de milho, água, leite de coco e sal.

Aratuzada
Os aratus são cozidos em molho preparado com leite de coco, azeite, temperos verdes e legumes. Desse caldo é feito um pirão que acompanha o prato principal junto com arroz branco.

Arroz doce
Doce tradicional da ceia pernambucana, o arroz doce é feito com arroz cozido no leite de coco e temperado com açúcar, raspa de limão e erva-doce.

Arroz mexido
Esse arroz é cozido no caldo em que foi preparada a galinha guisada, mas há quem goste de cozinhá-lo no caldo do bode guisado também. O prato fica com uma consistência bem cremosa.

Arrubacão
Também conhecido como baião-de-dois, o arrubacão consiste em feijão-de-corda (verde ou seco) cozido junto ao arroz e misturado com carne de sol, charque e queijo coalho. O segredo é faze-lo em panela de barro.

Arrumadinho
Feijão verde cozido e escorrido, temperado com manteiga de garrafa e servido com charque desfiada, farinha de mandioca e molho vinagrete. É típico em bares e restaurantes de todo Estado, perfeito para acompanhar uma cervejinha.
Topo

B Baião-de-dois
Também conhecido como rubacão, o baião-de-dois consiste em feijão-de-corda (verde ou seco) cozido junto com o arroz e misturado com carne de sol, charque e queijo coalho. O segredo é faze-lo em panela de barro.

Bate-bate
Bebida feita com cachaça, mel de abelha e suco de maracujá.

Batida
Seu processo de fabricação é semelhante ao da rapadura, sendo que ela é batida e temperada com erva-doce, cravo e gergelim. tem a consistência macia, em forma de aspiral, enrolada em folha de bananeira.
Batida de cenoura – Bebida a base de cachaça, mel de abelha e suco de cenoura.

Batida de maracujá
Também conhecida como bate-bate, a batida é uma bebida feita com cachaça, mel de abelha e suco de maracujá.

Beiju
Preparado nas casas de farinha da zona rural, o beiju consiste em camadas finas de massa de mandioca, recheadas de coco ralado e assadas no forno de barro. O prato parece uma tapioca, só que de formato redondo.

Biscoito Nicolau
Trazido para região pelas freiras alemãs, o biscoito é uma tradição amais de 50 anos. seu preparo é feito com farinha de trigo, limão, açúcar, mel de engenho, amoníaco, ovos, manteiga e erva doce.

Bobó de camarão
Patê cremoso feito com camarões refogados, temperos verdes, purê de macaxeira (aipim), azeite de dendê e gengibre.

Bode
Prato principal em qualquer restaurante sertanejo, o bode serve de ingrediente para várias receitas: Carne de bode defumada, assada no forno, assada na brasa, cozida em forma de caldeirada e grelhada, são algumas variações. Para acompanhar pirão, feijão verde, fava, farofa de cuscuz, xerém, arroz vermelho ou mexido.

Bode assado
Essa iguaria é feita com a carne de um dos animais mais apreciados do sertão, o bode. A carne é temperada e assada no forno ou na brasa. Para acompanhar custuma-se fazer arroz mexido ou vermelho, feijão verde e farofa de cuscuz.

Bode defumado
Um dos pratos mais tradicionais da culinária típica sertaneja, o bode defumado é servido com fava ou feijão verde, xerém (angu), farofa de cuscuz e arroz vermelho.

Bolinho de goma
Bolinho preparado com bata doce, polvilho, manteiga, açúcar e gemas de ovos. São decorados com marcas de dente de garfos e assados no forno.

Bolo barra branca
O bolo é preparado com massa de mandioca, leite, ovos, açúcar e manteiga. para criar um efeito branco no centro, os sertanejos criaram um truque especial: quando o bolo sai do fogo é imediatamente resfriado sobre cubos de gelo, o choque térmico deixa amassa mais clara e mais seca ao centro.

Bolo de batata doce
A batata doce é cozida em forma de purê, misturada ao leite de coco, coco ralado, farinha de trigo, ovos e manteiga. Essa mistura é levada ao forno brando.

Bolo de caco
Esse bolo feito com massa de milho moída, ovos, açúcar, trigo e manteiga, fica ainda mais gostoso se for assado em panela de barro. No sertão, costuma-se servi-lo com café.

Bolo de cenoura
Bolo preparado com cenouras raladas ou cozidas em forma de purê, farinha de trigo, óleo, ovos, manteiga, açúcar e fermento. É colocado em tabuleiros e assado no forno.

Bolo de macaxeira
Bolo preparado com macaxeira ralada, leite de coco, ovos, manteiga e açúcar.

Bolo de mandioca
Bolo preparado com massa de mandioca, leite de coco,ovos, manteiga e açúcar. É assado no forno e servido com café.

Bolo de milho verde
O milho verde ralado é o ingrediente principal da receita que ainda é composta por açúcar, manteiga, ovos, leite de coco e erva-doce. Esse bolo é típico do ciclo junino.

Bolo de rolo pernambucano
Pão-de-ló recheado com goiabada derretida, enrolado em forma de rocambole e polvilhado com açúcar.

Bolo pé-de-moleque
Bolo típico do ciclo junino, sua receita é preparada com massa de mandioca, açúcar, leite de coco, ovos, manteiga, castanhas de caju moídas, erva-doce e cravo.

Bolo Souza Leão
Sua receita foi passada pela família Souza Leão, por isso o bolo tem esse nome. Seus ingredientes são massa de mandioca, calda quente de açúcar, ovos e manteiga.

Bredo de coco
Receita típica feita na época da Semana Santa, o bredo – erva típica da região – é refogado com azeite de oliva,cebola e temperos verdes, cozido no leite de coco. Acompanha prato à base de peixes.

Buchada
Esse cozido preparado com o bucho do bode ou carneiro, recheado com um picadinho de sangue coagulado, tripas e fígado, refogado com hortelã, limão, alho, cebola e temperos, é o prato predileto de muitos nordestinos. Para acompanhar costuma-se fazer um pirão com o caldo do cozido e arroz branco ou mexido.
Topo

C Cafofa
Doce típico do sertão nordestino, a cafofa é preparada com batata de umbu, açúcar, frutas e coco. Tem formato de rapadura e consistência macia.

Caldeirada –
Vários frutos do mar juntos num ensopado de encher os olhos. A caldeirada reúne peixe, lagosta, camarão, ostra, sururu, marisco e polvo, que refogados com azeite, temperos verdes e leite de coco, vira um prato delicioso.

Caldo de cana
O cultivo da cana de açúcar é muito grande na Zona da Mata e litoral pernambucano. O caldo é resultado da moagem da cana. Geladinho e acompanhado de um pão doce ou de um pastel, fica simplesmente fantástico.

Camarão
Esse delicioso fruto do mar é preparado de várias maneiras: fritos ao alho e óleo, assado na brasa, ensopado no leite de coco, com molho de tomate, em forma de moquecas e empanado. Essas receitas são facilmente encontradas em bares e restaurantes da região.

Cozinha pernambucana

Cambraias
Esse petisco é servido nos coquetéis, cafés e chás. São tapiocas pequenas e redondas, preparadas com goma de mandioca umedecidas e assadas em chapa quente, de ferro ou pedra, sem gordura, e recheadas com pastas de diferentes sabores.

Canjica
Um dos pratos típicos do ciclo junino, a canjica é um pudim de consistência cremosa feito com milho verde ralado, açúcar e leite de coco. É servida polvilhada com canela. A canjica também é conhecida no sul do país com o nome de Curau.

Caranguejo
Muito encontrado nos restaurantes e bares da orla marítima, o caranguejo pode simplesmente ser cozido na água e sal ou temperado com temperos verdes e leite de coco.

Carcará de macaxeira
Carcará é um bolinho feito com purê de macaxeira (aipim), misturado com carne de charque desfiada e depois refogado com azeite e cebola. Ideal para acompanhar um papinho com os amigos regado à cerveja.

Carne de sol
O modo de fabricação é tipicamente artesanal. A carne de boi, de bode e até mesmo de frango salgada e estendida ao sol em um varal. O resultado é uma carne macia e saborosa que é servida frita ou assada na brasa, acompanhada de feijão verde ou fava, farofa, macaxeira, batata doce, manteiga de garrafa (manteiga líquida) e molho vinagrete. Também cai bem com pirão de leite e queijo de coalho.

Carne de sol com feijão verde
Seu modo de fabricação é tipicamente artesanal. A carne de boi salgada e enxuta no sol, é servida frita ou assada na brasa, acompanhada de feijão verde.

Carneiro
A carne desse animal bastante apreciado na região pode ser prepara da de várias maneiras: guisada, assada no forno ou na brasa, em forma de churrasco ou grelhada. Também pode ser servida com pirão, feijão verde, fava, farofa de cuscuz, xerém ou arroz vermelho.

Cartola
Banana frita coberta com queijo coalho assado e polvilhada com açúcar. Assim é a cartola, uma das sobremesas mais tradicionais da gastronomia pernambucana.

Casquinho de caranguejo
Um refogado cremoso feito com carne de caranguejo cozida e desfiada, leite de coco, azeite e cheiro verde, serve para rechear os casquinhos de caranguejo, que é bonito de se ver e melhor a inda de se comer.

Casquinho de siri
Casquinhos recheados com carne de siri desfiada, cozida no leite de coco e azeite de oliva. O petisco é um dos mais apreciados da gastronomia pernambucana.

Chambaril
Cozido preparado com ossobuco de boi, refogado em temperos. É servido com pirão feito com o caldo fervendo e farinha de mandioca.

Charque ao forno
Carne de charque assada no forno, acompanhada de feijão verde, macaxeira e farofa.

Charque assada com farofa
A carne de charque é assada na brasa e servida com farofa de jerimum, batata doce ou cuscuz.

Chouriço
A mistura de sangue fresco de porco, banha derretida, mel de rapadura, canela, cravo, erva doce, gengibre, farinha de mandioca e castanhas de caju vira um doce de aparência exótica muito apreciado nesta região.

Cocada
A coloração do doce é dada a partir da receita. A cocada branca é feita a partir da mistura da calda de açúcar com coco ralado e cravo da índia. Já quem gosta de um doce de cor mais escurinha pode trocar o açúcar por calda de rapadura. As duas receitas resultam numa sobremesa de dar água na boca. Também existem as cocadas de jaca e de goiaba.

Cocada de cenoura
A mesma receita da cocada tradicional (coco ralado, açúcar, cravo e erva-doce), adicionando cenoura ralada. Assim é essa sobremesa de grande sucesso na região.

Cocorote
A massa de mandioca é a principal matéria-prima desse bolo, que também leva manteiga, açúcar, ovos e coco ralado. Esta mistura é lavada ao forno e depois de assada cortada em pequenos quadradinhos. Sem dúvida um doce que vai fazer você lembrar os tempos da vovó.

Confeito de festa
Os confeitos de festa são sementes de erva-doce carameladas em açúcar cristal. As bolinhas são embaladas em papel crepom colorido, em formato de cone.

Cuscuz
A farinha de milho é umedecida, misturada com um pouco de sal e cozida no vapor. O resultado é um dos pratos mais conhecidos em todo Pernambuco, o Cuscuz. Ele pode ser servido de várias maneiras: com leite de vaca ou de coco, manteiga, queijo, ovo e até mesmo com carne de sol ou charque.
Topo

D Dobradinha
Nessa receita o feijão branco é cozido com bucho, tripas de boi e lingüiças cortadas em pequenos cubos. É servido com farinha de mandioca.

Doce da batata do umbu
Doce de formato retangular, típico do sertão pernambucano, é preparado com a batata do umbu, misturada ao açúcar, frutas e coco.

Doce de acerola
Esta fruta rica em vitamina C, é o principal ingrediente do doce que é feito com a polpa da acerola e açúcar.

Doce de banana
As bananas são cortadas em rodelas e cozidas no mel de açúcar, cravo, erva-doce e canela em pau.

Doce de banana
Para fazer este doce que é uma das sobremesas mais tradicionais da região, corta-se a banana em rodelas e cozinha-se com açúcar, cravo, erva-doce e pau de canela.

Doce de cenoura
O doce de consistência cremosa é feito com purê de cenoura, açúcar, leite de coco e cravo.

Doce de coco verde
Bem parecido com a cocada só que de consistência cremosa, o doce é feito com o coco verde ralado, cozido em calda de açúcar, erva-doce, cravo e canela em pau.

Doce de goiaba
A fruta é cortada em fatias e cozida na calda do açúcar e temperada com erva-doce, cravo e pau de canela. Essa sobremesa não pode faltar na mesa dos moradores da região.

Doce de guabiraba
Fruta típica do local, a guabiraba é bastante apreciada. Sua polpa misturada com açúcar dá um belo doce que fica ainda mais gostoso em ponto de corte.

Doce de jaca
Os bagos de jaca vão ao fogo com açúcar, canela, cravo e erva-doce, quando o doce estiver com calda cremosa, é retirado do fogo e colocado para esfriar.

Doce de jambo roxo
O jambo é cortado e cozido com açúcar e temperado com erva-doce, cravo e canela em pau.

Doce de leite –
Uma das sobremesas mais saboreadas na região, o doce de leite, além de ser muito gostoso é fácil de fazer. Açúcar e leite de vaca compõem a receita que transforma-se neste tradicional quitute do cardápio nordestino.

Doce de mamão
Mamão verde cortado ou ralado, cozido em calda de açúcar, erva-doce, cravo e canela. Simplesmente delicioso.

Doces artesanais
Na região é tradição o preparo de doces artesanais. São doces caseiros, pastosos, feitos com frutas variadas e acondicionados em vidros.
Topo

E Ensopado de siri
O prato é feito com carne de siri desfiada, cozida com temperos verdes, azeite de oliva e leite de coco. Para acompanhar, arroz branco.

Escaldado de caranguejo
Da carne do caranguejo é preparado um ensopado que é servido acompanhado de pirão feito com o caldo do próprio ensopado e farinha de mandioca.
Topo

F Farinha de castanha
A castanha do caju é torrada, moída e misturada ao açúcar, compondo uma farinha doce que é bastante apreciada na região.

Farofa de cuscuz
A farofa é preparada com cuscuz de milho esfarelado, caldo de galinha de capoeira ou bode guisado, refogado com temperos verdes. Ela serve de acompanhamento para a carne de sol, galinha de cabidela e outros pratos.

Farofa de jerimum
Farofa feita com água quente, temperos verdes e jerimum amassado. Acompanha carne de sol e charque assada. Tem um leve sabor adocicado.

Farofa de queijo
Farofa preparada com farinha de mandioca passada no tacho em que foi feito o queijo de manteiga.

Fatias paridas
Também conhecida como fatias douradas, as fatias paridas são preparadas com pão embebido no leite, passado em ovos batidos, frito em óleo quente e polvilhado com açúcar e canela.

Fava de coco
A fava é um feijão de grãos maiores que os outros. Ela é cozida com os mesmos temperos do feijão de coco. Pode ser servida em forma de purê ou acompanhada por pratos a base de peixe.

Feijão de coco
Prato típico da Semana Santa, o feijão de coco é feito com feijão cozido em forma de purê, temperos verdes, leite de coco e azeite de oliva. Acompanha pratos à base de peixes.

Feijão de corda
O feijão de corda é um dos pratos mais populares da culinária sertaneja. Ele pode ser preparado de várias maneiras: cozido com carnes e legumes, escorrido e temperado ao vinagrete, misturado com saladas ou com cuscuz. Também fica muito gostoso se acompanhado por carne de sol.

Feijoada
Tradicional em todo Brasil, a feijoada não podia faltar no cardápio pernambucano. Ela é feita com feijão mulatinho, charque, lingüiça, ossobuco de boi, costelas de porco e legumes.

Filhoses
Doce típico do ciclo carnavalesco, os filhoses são bolinhas de trigo com ovos e manteiga, escaldadas em água fervente, fritas e servidas com calda de açúcar, cravo, erva-doce e canela.

Fritada de camarão
Omelete recheado com camarões refogados no azeite de oliva, cebola, cheiro verde e leite de coco.

Fritada de caranguejo
A receita é composta por carne de caranguejo desfiada, refogada no azeite de oliva, cebola, cheiro verde e leite de coco. Essa mistura é envolvida por claras de ovos batidas em neve e depois é frita virando uma espécie de omelete.

Fritada de siri
Esse verdadeiro manjar dos deuses é composto de carne de siri desfiada, refogada no azeite de oliva, cebola, cheiro verde e leite de coco. A mistura é envolvida por claras de ovos batidas em neve e depois é frita virando uma espécie de omelete.
Topo

G Galinha de cabidela
A ave é temperada e cozida no molho feito por seu sangue fresco e avinagrado. Para complementar, a comida é servida com farinha de mandioca, cuscuz, feijão de corda ou feijão verde.

Galinha de capoeira
É considerada galinha de capoeira aquela que é criada no mato ou no terreiro das casas, bem diferente das galinhas de granja. Para fazer o prato, a galinha é cortada em pedaços, refogada em temperos condimentados e guisada no molho. Pode ser acompanhada por arroz branco, arroz vermelho, feijão verde, farofa ou cuscuz. Há ainda quem faça um pirão aproveitando uma parte do molho.

Galinha de capoeira com xerém
A galinha é cortada em pedaços, refogada em temperos condimentados e guisada no molho. É servida acompanhada de xerém, que é um angu feito com fubá de milho. Prato bastante encontrado nos restaurantes do município.

Galinha da terra
A galinha é cortada em pedaços, refogada em temperos e cozida com bastante molho. depois de pronta separa-se uma parte do molho para fazer o pirão que serve de acompanhamento do prato.

Garra
Biscoito típico do sertão, a garra é preparada com leite de coco, farinha de trigo, manteiga, ovos e amoníaco. Tem espessura bastante fina, com formas e tamanhos variados.

Geléia de araçá
O araçá é uma fruta típica da região. Da sua polpa, misturada ao açúcar, é feita a geléia, uma das sobremesas mais apreciadas na região.

Grude
Bolo de consistência elástica, preparado com goma de mandioca (polvilho), coco ralado, sal ou açúcar.

Guaiamum
Pode ser preparado da mesma forma do caranguejo: cozido inteiro em água e sal ou temperado com temperos verdes e leite de coco. Receita bastante pedida nos bares e restaurantes do litoral pernambucano.
Topo

L Lagosta
Um dos tesouros marinhos mais apreciados, a lagosta pode ser servida de várias maneiras: ao molho de coco, grelhada com molho de manteiga, em forma de moquecas ou empanadas. Esses pratos são encontrados nos bares e restaurantes da orla marítima.

Lagosta de coco
A lagosta é cozida em molho feito com leite de coco, azeite e temperos verdes. O prato é sucesso nos bares e restaurantes da orla marítima.

Licor amor de mãe
A cachaça misturada com raízes, cascas, frutas cítricas, gengibre, anis, canela em pau, cravo-da-índia, vinho e mel de açúcar. O segredo: a mistura deve ser balançada como um bebê e deixá-lo em repouso durante um mês.

Licor de bananas
Bebida de suave sabor feita com cachaça ou álcool, açúcar ou mel e banana. Estes ingredientes ficam em infusão por alguns dias até virar licor.

Licor de cenoura
A cenoura está em diversas receitas da região e não podia ficar de fora do licor. A bebida tem sabor suave e é feita com cachaça ou álcool, açúcar ou mel. A infusão desses ingredientes junto com a cenoura, resulta, depois de vários dias, no licor que é tradição da cidade.

Licor de rosas
A rosa é o principal ingrediente dessa bebida de suave sabor feita com cachaça ou álcool, açúcar ou mel. A infusão desses ingredientes junto com as pétalas de rosa, resulta, depois de vários dias, no licor que é saboreado por todos da cidade.

Licor do jenipapo
Bebida de suave sabor feita com cachaça ou álcool, açúcar ou mel. A infusão desses ingredientes junto com o jenipapo, resulta, depois de vários dias, no licor que é saboreado por todos da cidade. Que tal tomar um drinque com os amigos?

Licores
A combinação de cachaça ou álcool, açúcar ou mel, em infusão por vários dias, com ingredientes como frutas regionais, canela, rosas, leite, ovo, café,cenoura, erva-doce ou anis, resulta numa bebida suave e saborosa.
Topo

M Manuê
O bolo é preparado com massa de mandioca, coco ralado, manteiga, erva-doce, cravo e açúcar. A mistura é envolvida em palhas de bananeira e assada em forno quente. O resultado é um delicioso quitute que, de tão saboroso, é encontrado na maioria das casas da cidade.

Mão de vaca
As patas da vaca são temperadas e cozidas, deste caldo é feito um pirão que serve como acompanhamento do prato.

Mariola
Que delícia! Tijolinhos de doce de goiaba, envolvidos em papel celofane transparente.

Mel de abelha uruçu
Mel natural, extraído das colméias das abelhas uruçu, que pode ser servido com farinha de mandioca ou frutas. Também fica muito bom com pães e bolachas.

Mel de Engenho
O caldo da cana é colocado em grandes tachos e levado ao fogo para cozinhar até o ponto do mel grosso e escuro, que fica muito bem acompanhado por queijo coalho fresco ou assado, tornando-se uma deliciosa sobremesa.

Moqueca de ostra
O segredo do prato é o uso da panela de barro para refogar a ostra no azeite de oliva, temperos verdes, leite de coco, pimenta e azeite de dendê. A dica é servir acompanhado de arroz branco.

Cozinha pernambucana

Moqueca de peixe
A panela de barro também é usada para fazer essa receita que consiste em postas de peixe refogadas no azeite de oliva com temperos verdes, leite de coco, pimenta e azeite de dendê. Como acompanhamento, arroz branco.

Moqueca de polvo
Polvo refogado no azeite de oliva, temperos verdes, leite de coco, pimenta e azeite de dendê. O segredo do prato é fazê-lo em panela de barro.

Moqueca de siri
Carne de siri cozida e refogada com azeite de oliva, temperos verdes, leite de coco, pimenta e azeite de dendê. O arroz branco acompanha o prato que só de olhar dá água na boca.

Moqueca seca de ostra
O uso da panela de barro ficou de lado nessa receita. Dessa vez a moqueca é feita com ostras refogadas no azeite, suco de limão, temperos verdes, pimenta e leite de coco. A mistura fica no fogo até secar todo o molho e depois é envolvida em folhas de bananeira e assada na hora. Prato muito encontrado na beira mar e nos bares populares.

Moqueca seca de peixe com crustáceos
Esse petisco é feito com peixes e crustáceos preparados com limão, azeite, temperos verdes, pimenta e leite de coco, depois de secar todo o molho, a massa é envolvida em folhas de bananeira ou coqueiro e assada na hora.

Muçum ao coco
As postas do peixe são temperadas com sal e limão e refogadas no azeite, temperos verdes e leite de coco. O resultado é um dos práticos exóticos mais procurados na região.

Mungunzá
Típico do ciclo junino, o mungunzá é preparado com grãos de milho cozido com água, leite de coco, açúcar , cravo e erva doce. É servido quente, polvilhado com canela.

Mungunzá Salgado
Típico do ciclo junino, o mungunzá é preparado com grãos de milho cozido, feijão de corda, pé de porco, carne de charque e temperos. É servido com farinha de mandioca.
Topo

N Nego bom
Preparado com banana amassada, açúcar e limão, o nego bom é um doce de cor escura, em forma de bolinhos envolvidos em papel celofane.
Topo

O Ostra crua
Ostra ao natural, temperada com azeite, sal e limão. Um ótimo petisco servido em bares e restaurantes do litoral pernambucano.

Ostra de coco
Especialidade de vários restaurantes da orla marítima, a ostra é cozida em molho feito com leite de coco, azeite e temperos verdes. Esse é um dos pratos mais procurados pelos turistas da cidade. Ela pode ser servida como petisco ou acompanhada de arroz branco.

Ouriçada
Ouriço assado na brasa. Depois de pronto, ele perde os espinhos e apresenta uma polpa macia dentro da carapaça. esse prato é tradicional na Festa da Ouriçada, quando os pescadores da região organizam um ritual especial para degustar a iguaria.

P Paçoca
Farinha feita com carne de sol ou charque assada, desfiada e socada em pilão com farinha de mandioca. Esse salgado é um prato freqüente na mesa dos sertanejos.

Pamonha com galinha de capoeira
Espécie de pudim feito com milho verde ralado, açúcar e leite de coco, a pamonha também é servida salgada, acompanhada por galinha de capoeira guisada ou à cabidela. O segredo do prato é cozinhar a pamonha em saquinhos feios com a palha de milho.

Passa de caju
Este é uma delícia. Os cajus inteiros são levados ao fogo brando com açúcar, depois de cozido são peneirados para escorrer todo o mel e secar. O doce pode ficar mais gostoso se acompanhado por sorvete.

Passa de carambola
Esse doce é feito com carambolas inteiras cozidas, em fogo brando, na calda de açúcar. Depois de pronta, peneira-se a calda, ficando só a fruta.

Passa de mangaba
Fruta típica da região, a mangaba é levada ao fogo brando com açúcar e depois peneirada até escorrer todo mel. Esse doce é um dos quitutes mais apreciados no local.

Pau do índio
Criada por índios da tribo de Águas Belas, o pau do índio é uma bebida típica de Olinda e por isso, é praticamente a “bebida oficial do carnaval”. Perfeita para quem quer perder as inibições durante a festa. É feita de aguardente de cana, açúcar, mel, corante e trinta e duas ervas aromáticas que são segredos dos índios.

Cozinha pernambucana

Q Queijo coalho
Queijo de consistência gordurosa preparada com leite de vaca. É servido ao natural, frito ou assado na brasa. Uma dica é servi-lo com doce de goiaba.

Queijo manteiga
Também conhecido como queijo do sertão, o queijo manteiga tem como matéria prima o leite de vaca e a manteiga líquida. Bem amarelinho, uma consistência macia e um gosto maravilhoso.
Topo

R Ração de cabra
A carne de cabra é bem cozida com verduras, especialmente o repolho. Seu caldo é servido como tira-gosto.

Raiva
A mistura de farinha de trigo com ovos, açúcar e manteiga resulta em pequenos biscoitos redondos e fofos chamados raiva.

Rapadura
Bastante produzida na época de moagem da cana nos engenhos a rapadura é feita com o caldo de cana levado ao fogo em grandes tachos até dar o ponto desse doce. Depois é colocada em fôrmas de madeira em formato retangular

Rapadura batida
Bastante produzida na época de moagem da cana nos engenhos da região a rapadura batida é resultado da misturada da rapadura tradicional com erva-doce, cravo e gergelim. Depois ela é bem batida para ficar com uma consistência macia. A massa é enrolada em forma de espiral na folha de bananeira.

Rolete de cana
A cana-de-açúcar é descascada, cortadas em rodelas e espetadas em pequenas hastes de bambu. Depois de pronto o rolete lembra um buquê de flores. Agradável aos olhos e ao paladar, principalmente se estiver geladinho.
Topo

S Sarapatel
o prato é feito com sangue avinagrado e miúdos de porco, picadinhos em pequenos cubos, refogados em temperos e cozidos. Costuma-se ser servido como tira-gosto para cachaça ou batida de limão.

Sequilhos de cenoura
Biscoito de formato variado feito com caldo de cenoura ralada, farinha de trigo, manteiga, ovos e açúcar. Sirva-os com café ou chá.

Siri
Do siri são preparadas várias receitas: fritadas, moquecas, ensopados e casquinho. Todas muito gotosas e de dar água na boca.

Sorvete de acerola
As frutas típicas são sobremesas de encher os olhos, imagine então o sorvete delas. Nessa região, o sorvete de acerola é uma sobremesa tradicional.

Surubim Defumado
O surubim é um peixe muito encontrado nas águas do São Francisco, por isso virou prato principal do cardápio da região. O peixe é preparado no forno e acompanhado de molho de tomate.

Surubim grelhado
Esse peixe bastante encontrado no rio São Francisco, pode ser preparado de várias maneiras. Na grelha ele fica muito bem acompanhado por uma moqueca, ou molho de tomate.

Sururu de coco
O sururu é cozido com leite de coco, azeite e temperos verdes. Depois de pronto é servido acompanhado de arroz branco.
Topo

T Tapioca
Beiju feito com goma de mandioca umedecida, temperada com sal e assada na chapa sem gordura. Pode ser recheada com queijo coalho, coco ralado ou manteiga. Esse prato é encontrado em todo Estado.

Tapioca de castanhas
Beiju assado na frigideira sem gordura, feito com farinha de castanha e açúcar ou rapadura ralada.

Tapioca de forno
O processo é parecido com o da tapioca tradicional sendo que depois de umedecida e salgada, a goma de mandioca é misturada ao coco ralado e colocada para assar no forno. É servida com carne de sol, lingüiça, costela de porco e carneiro assado.

Cozinha pernambucana

Tareco
Biscoitinho doce feito de trigo, ovos e açúcar.

Ticaca
A ticaca é um pão doce feito com massa de pão francês, misturado com açúcar. O segredo do pão é que antes de ir ao forno ele é banhado com leite de coco.

Tijolo
Calma! Não estamos falando daquele tijolo de construção, não! A matéria prima dessa receita é a cana-de-açúcar. O caldo da cana é levado ao fogo em grandes tachos até o mel chegar ao ponto de rapadura. depois ele é temperado com erva doce e cravo e colocado em fôrmas de madeira em formato retangular.

Tubalhau
Bolinhos feitos com a carne de tubarão salgada que tem um sabor semelhante ao bacalhau. Você pode encontrar os bolinhos prontos, congelados para fritar, ou prensado e salgado como o peixe norueguês.

Topo

U Umbuzada
Prato típico do sertão, a umbuzada é uma comida de consistência cremosa, preparada com umbus verdes cozidos, peneirados e temperados com açúcar e leite.
Topo

V Vatapá
Creme feito com pão, leite de coco, castanha de caju, gengibre, peixe e camarões refogados no azeite de dendê e temperos verdes. É servido com arroz branco.

Vinhos caseiros
O vinho caseiro é feito com suco de fruta, açúcar e álcool em infusão por 30 dias. Os mais procurados são os vinhos de caju, uva e jurubeba.

Cozinha pernambucana

Veja nossas outras receitas na nossa seção de Receitas : Receitas

Você gosta de RECEITAS ? Também temos nossas fanpages com publicações diárias de diversas receitas, da uma olhadinha:

Receita Para O Dia a Dia

Apaixonados Por Espetinhos

Churrasqueada Inesquecível

Curso Online De Pizzaiolo

Espetinhos E Churrascos Club

Você gosta de animais ? Gosta de saber dicas pra melhor cuidá-los ? Gosta de ficar sempre antenado com notícias a respeito deles? Então curta nossas fanpages e faça parte do nosso time PRO PETS:

Laços para Pet

Pets Bagunceiros

Terra Dos Gatos

Cozinha pernambucana

Deixe uma resposta

Este sitio web utiliza cookies para que usted tenga la mejor experiencia de usuario. Si continúa navegando está dando su consentimiento para la aceptación de las mencionadas cookies y la aceptación de nuestra política de cookies, pinche el enlace para mayor información.plugin cookies

ACEPTAR
Aviso de cookies
error: O conteúdo está protegido !!